Sala de emergência

Síndrome de Stevens-Johnson associada à Micoplasma: o maior surto na faixa etária pediátrica

Por: Pedro Rocha e Antônio Henrique Roberti dos Santos.

 

A síndrome de Stevens-Johnson (SSJ) é um fenômeno imunológico raro e grave, caracterizado por erupção cutânea e doença da membrana mucosa. A SSJ pode ser desencadeada por medicamentos e, menos comumente, por infecções como Mycoplasma
pneumoniae (Mp). Surtos de SJS são extremamente raros.

A SSJ pode resultar em severa morbidade por cicatrização das superfícies mucosas, levando à cegueira, bem como a estenose uretral e esofágica. A taxa de letalidade para SSJ é de ± 10% em adultos, mas pode ser menor em crianças; até 50% podem desenvolver sequelas a longo prazo.

Embora a patogênese seja incompleta, a forma mais grave da SSJ é a necrólise epidérmica tóxica (NET), é o resultado de uma resposta inflamatória que resulta em necrose queratinocitária e infiltração de linfócitos perivascular.

Os surtos são raros, mas não quer dizer que não acontecem, não é? Nesse estudo colhido, o surto ocorreu em Colorado em um hospital de crianças.

Os casos de surto foram crianças de 5 a 21 anos com diagnóstico de SSJ admitidos em um período de 2 meses. As amostras respiratórias foram testadas quanto a vírus e Mycoplasma pneumoniae (Mp) por reação em cadeia da polimerase (PCR).

A doença foi caracterizada por mucosite extensa, principalmente doença ocular, e manifestações cutâneas menos graves que a SSJ não associada a Mp.

A análise feita demonstrou que as crianças com SSJ associada à Mp tiveram uma probabilidade significativamente maior de apresentar sintomas respiratórios anteriores, pneumonia e VHS elevada, porém, eles também tiveram menos locais de pele afetados do que as crianças com SSJ não associada à micoplasma.

Esse foi o maior surto de SJS relatado em crianças, que foi predominantemente associado à infecção por micoplasma. A hipótese inicial era de que uma nova cepa de Mp com maior predisposição para induzir a SSJ circulava na comunidade.

Uma segunda hipótese, mais provável, é a de que houve um grande surto de micoplasma na comunidade, o que resultou em um aumento da taxa de SJS devido a um aumento geral da taxa de exposição ao micoplasma. Isso é apoiado por uma investigação em toda a comunidade, que encontrou um aumento significativo nos diagnósticos de pneumonia atípica, prescrições de macrólidos e testes positivos de Mp. Sabe-se que epidemias de pneumonia por Mp ocorrem em ciclos de 3 a 7 anos, e surtos de micoplasma foram observados anteriormente no Colorado.

 

Referência: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4516944/